Organizando seus documentos para a declaração do Imposto de Renda (IR)

 Em Dicas

Em Fevereiro começa a entrega das declarações de imposto de renda e muitas pessoas já estão se preparando para poder fazer sua declaração com calma, para diminuir a chance de cair na famosa “malha fina”. Pequenos detalhes podem parecer banais, mas podem lhe prejudicar se houver erros na declaração. Que tal ir se organizando e separar os documentos de antemão?

Quem precisa declarar?

Existem diversos critérios, veja os principais abaixo e se você se encaixa em algum:

1- As pessoas físicas que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 em 2017.

2- Pessoas físicas que tiveram rendimentos não tributáveis acima de 40.000,00 reais. Os rendimentos tributáveis são aqueles que não geram lucro ou valor líquido, logo, não pagam imposto.

3- Trabalhadores do campo: fazem a declaração do IR aqueles cujo rendimento anual bruto de renda rural seja superior a 142.798,50 reais.

4- Qualquer contribuinte que tenha investido em bolsa de valores, mercado de capitais e outros investimentos do gênero (qualquer valor).

5- Pessoas físicas com imóvel ou terreno em sua posse, com valor superior a 300.000,00 reais.

Quais são os documentos necessários para a declaração do imposto de renda?

A Self Box reuniu estas informações e fez uma lista dos documentos necessários. Confira os documentos para declarar o IR:

1) Rendas
– informes de rendimentos de instituições financeiras inclusive corretora de valores;
– informes de rendimentos de salários, pró labore, distribuição de lucros, aposentadoria, pensão etc.;
– informes de rendimentos de aluguéis de bens móveis e imóveis recebidos de jurídicas;
– Informações e documentos de outras rendas percebidas no exercício, tais como rendimento de pensão alimentícia, doações, heranças recebida no ano, dentre outras;
– resumo mensal do livro caixa com memória de cálculo do carnê-leão;
– DARFs de carnê-leão.

2) Bens e direitos
– documentos que comprovem a compra e venda de bens e direitos;

3) Dívidas e ônus
– informações e documentos de dívida e ônus contraídos e/ou pagos no período.

4) Renda variável
– controle de compra e venda de ações, inclusive com a apuração mensal de imposto;
– DARFs de renda variável.

5) Informações gerais
– dados da conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja;
– nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes e data de nascimento;
– endereço atualizado;
– cópia da última Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (completa) entregue;
– atividade profissional exercida atualmente.

6) Pagamentos e doações efetuados
– recibos de pagamentos ou informe de rendimento de plano ou seguro saúde (com CNPJ da empresa emissora e a indicação do paciente);
– despesas médicas e odontológicas em geral (com CNPJ da empresa emissora ou CPF do profissional, com indicação do paciente);
– comprovantes de despesas com educação (com CNPJ da empresa emissora com a indicação do aluno);
– comprovante de pagamento de Previdência Social e previdência privada (com CNPJ da empresa emissora);
– recibos de doações efetuadas;
– GPS (ano todo) e cópia da carteira profissional de empregado doméstico;
– comprovantes oficiais de pagamento a candidato político ou partido político.

Quais são os prazos do IR? Existem multas?

O prazo máximo de entrega é até as 23h59 do dia 28/04/2019. Caso a entrega não seja feita dentro do prazo, o valor mínimo da multa é de R$ 165,74 e o máximo é o valor de 20% do imposto devido.

Dica: se você não conseguir toda a documentação e os valores necessários para declarar, faça a declaração incompleta, pois ela poderá ser editada e corrigida no futuro. E não há o pagamento da multa.

Lembrando que para guardar documentos importantes como estes, a Self Box disponibiliza a armazenagem de guarda documentos, que pode ser utilizado tanto por pessoas físicas quanto por pessoas jurídicas, pelo tempo que for necessário.

Posts Recomendados

Deixar um comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar